Você achou mesmo que tudo que o que fez não viria á tona? Que não sofreria as consequências? Que afastaria todo mundo de todo mundo e nunca ficaria sozinha?
Nada do que está acontecendo é culpa minha, é tudo somente culpa sua. Foi você que fez tudo o que fez só para ficar feliz vendo as outras pessoas tristes.
Mas o mundo é assim, ele é redondo e gira, e nessas voltas que ele deu, toda a maldade que fez se voltou contra você.
Dó dos tolos que têm dó de você, dos tolos que não sabem o seu verdadeiro eu, dos tolos que vão querer te apoiar agora e nem sequer imaginam que um dia eles é que estarão em meu lugar sendo vítima do que faz com todos.
Nossa amizade foi assim, um ciclo, um ano. Somente um ano para descobrir a raiz dos males que aconteceram na minha vida e afastar esse buraco negro cheio de maldade que tenta sugar a alma das pessoas.
Me afastar não foi uma vingança, só um ato para o bem do meu próprio ser. E não é culpa minha o fato de outras pessoas estarem seguindo os meus passos, foi você que destruiu as amizades que tinha.
Sofra com/as consequências. E tomara que um dia você consiga ser feliz sem infernizar a vida das pessoas que te cercam.
Fafá ;*

O mesmo ciclo

Sonhei com você. E é sempre assim que começa.
Eu sonho com você.
Começo a lembrar do sonho quando te vejo e fico sem graça.
Imagino coisas que eu não deveria.
E PUM!!! Estou apaixonada…
Para o que? O que eu ganho gostando de você?
Só uma mente confusa e um coração mais machucado.
Nem te conheço! Só te vejo todas as manhãs. Você nem deve saber quem sou eu. É um amor improvável…
Mas ninguém sabe o que pode acontecer no futuro…
Fafá ;*

Cenas – 19

Eu estava deitada no último banco do perua lendo um livro, ninguém nunca me incomodou, mas:
-Licensa.
Saí do meu transe e olhei para ele:-Oi?
-Eu pedi licensa para sentar no banco.
Olhei rapidamente para aquele ser me incomodando. Um metro e setenta e cinco de altura; magro; cabelo curto, liso e castanho, arrumado em um sutil topete; olhos castanhos e brilhantes; e uma sexy barba para fazer… Dezessete anos de gostosura…
-Tem um monte de banco vazio ali na frente.-E voltei a ler.
-Mas eu quero sentar aqui!
-Hum. Que bom para você, mas eu não vou me levantar.
-Ah, mas eu vou conseguir fazer você levantar…
Ele tirou o livro da minha mão e, antes que eu pudesse reclamar, encostou seus deliciosos lábios nos meus. Foi me beijando e depois foi abrindo as bocas(a dele e a minha). Foi acariciando meus cabelos e pescoço; e eu fui retribuindo as carícias. E quando eu percebi ele estava sentado ao meu lado no banco.
-Falei que eu ia conseguir… Toma seu livro de volta.
Me inclinei para recuperar o meu livro, mas antes que eu conseguisse ele roubou outro beijo e guardou o MEU livro dentro da SUA mochila. Pegou a minha mão, entrelaçou os dedos nos meus e disse:
-Continue se comportando e talvez eu devolva seu livro. Mas só quando você merecer.
Fafá ;*

Sempre me apaixonei por quase todo menino que conheço, cada mínimo detalhe me encantava.
Mas por você não. Falou as palavras que eu queria ouvir, fez tudo o que eu queria e fez acontecer tudo o que eu imaginava. Porém, foi tudo tão físico, nada emocional ou mágico.
Acho que eu meio que sabia que você é fofo, mas idiota e galinha. Ainda bem que eu não me apaixonei.
Iria ser tão difícil e doloroso, mas não, foi totalmente o contrário, você ajudou a cicatrizar a ferida que eu ainda tinha em meu peito.
Agora estou bem.
Sexy, free and single!
Fafá ;*

Cenas – 18

Estou voltando para casa, quando, de repente alguém me abraça por trás e tira a vareta da minha mão.

-Dá essa vareta aqui e pega no meu braço.
Dou um sorriso por amar aquela voz doce e pego em seu braço.
-Você não está me levando para casa. Aonde estamos indo?
-Para o parque. vamos ver se você identifica os cantos dos pássaros e os perfumes das flores.
Sentamos em um banco. Sinto o Sol batendo em meu rosto, dizem que ele é amarelo, mas eu nem imagino o que seja uma cor. Hoje não ouço nenhum dos cantos de pássaros, porém sinto os aromas das flores. Estendo a minha mão e ela percebe que quero a vareta de volta e a coloca na minha mão. Vou até os lírios, que são sus favoritos, e digo:
-Sabe, não sei como são os pássaros e as flores, mas sei que cheira a canta como eles. E tenho certeza que nem eles e nem nada nesse mundo é mais belo que você.
Quieta ela vai até mim:-Não. Você não pode ver, mas é você que  é o mais belo. O menino mais lindo do mundo.
Sinto algo se aproximando do meu rosto e sua mão fica em meu pescoço.
-Vai me beijar?-Perguntei.
Ouvi seu riso doce e, então, a resposta:-Sim, eu vou.
Ela se aproximou mais. Eu joguei minha vareta no chão e botei minha mão em sua cintura, puxando-a para mais perto ainda…
E naquele momento, mesmo sem poder enxergar, eu a vi. Vi a menina mais linda do mundo e me senti o menino mais belo do mundo.
Fafá ;*

Cenas – 17

Em um dia qualquer ele me falou:
-Durante toda a minha vida eu me apaixonei por diversas garotas, amei algumas até. Mas eu não podia… Então eu esqueci. Eu tinha que esquecer… Eu tentava afogá-las em minha mente.
Eu disse:-Como?
-Assim como memórias ruins, eu ocupo minha mente com milhares de coisas para não lembrar delas.
Inconformada e quase chorando, por conseguir sentir a sua dor, perguntei:-Por que?
Então, também chorando, respondeu:- Eu não podia! Eu não podia. Eu não posso…
“Ás vezes o que tentamos esquecer, nos obriga a lembrar.”
Fafá ;*

Podia ser eu…

Há pouco tempo, quando fiquei triste e decepcionada, pedi á Deus pessoas novas em minha vida e até amigos melhores. E recebi como resposta:-Continue cuidando bem dos seus amigos e um dia eles conseguirão retribuir e irão perceber o quanto você é importante. Enquanto isso, tente e desfazer dos velhos amigos que fazem mal. Depois virão novos.
Fafá ;*