Quase uma delinquente

Indo para um compromisso, me deparo com o seu carro estacionado na calçada na qual vou passar. Lembro do último final de semana, aquele em que se mostrou um monstro e me fez chorar.
Todos me dizem que você não merece a filha que tem. Você sabe, mas não acredita, se acha superior a tudo e a todos. nunca na vida pediu desculpas a ninguém.
Paro do lado do seu carro e pego a chave da minha casa.
As palavras daquele email ecoam em minha cabeça ” Ela não tinha que ter nada do que eu dou para ela…”, “Diferente da irmã, ela é sem personalidade…”, “Tudo o que eu faço tem o valor dela…”.
Eu, que nunca te desrespeitei; que sempre fui uma das melhores na escola; que nunca dei trabalho, preparei a chave que parecia gritar para ser usada. E aí, você apareceu na janela da sua empresa, acenando. Eu acenei de volta enquanto guardava discretamente a chave.
E segui meu caminho. Você não vale a pena.
Fafá ;*

A esperada despedida

Toda vez que eu imagino a gente junto (ou seja, todo dia), vejo você em um aeroporto, no final do ano, indo embora, para sempre; e eu abraçadinha em seu peito tentando não acreditar que isso está realmente acontecendo. Eu bebo chá gelado e você um leite quente. O seu calor me tira o meu frio e eu começo a chorar já sabendo a falta que todo você vai fazer.
Não vou ter mais o seu calor.
Não vou ter mais o seu cabelo para acariciar.
Não vou ter mais o seu abraço aconchegante.
Você faz cócegas no meu joelho para ver se essa tensão se distancia um pouco, eu começo a rir, mas não dura muito. É só nossos olhos se encontrarem para lembrarmos o que irá acontecer daqui a poucos minutos.
Uma voz anuncia a chamada do seu voo. Nós nos levantamos. Você só tem uma mochila para levar junto consigo. Se despede da sua família. E então chega a hora da nossa despedida. Brinca com o seu anel que agora está pendurado em meu peito, seu olhar vai subindo e se encontra novamente com o meu, me abraça mais forte e suspira dolorosamente. Sussurro ao seu ouvido o meu último pedido “Não me esqueça”. Você encosta sua testa na minha, volta a olhar nos meu olhos, sorri e me beija, finalizando com uma leve mordidinha, como se quisesse mostrar que sua marca ficaria para sempre comigo.
E aí você se vai.
E aí eu não sei quando nem se vou te ver de novo.
E aí, nós começamos as nossas mudanças de vida de lados opostos (assim como somos nós) do mundo.
Fafá ;*

Jogado, descabelado, na rede- Tati Bernardi

“E você ainda é o homem mais lindo do mundo. No canto da foto dos amigos bêbados, e você é o homem mais lindo do mundo. Com gorro, no meio da confusão do frio. Escondido embaixo de tanta roupa. No fundo do mar. No escuro. De costas naquela festa chata. Meu Deus, como você é lindo.

Não sei direito o que é aurora boreal, mas acho que deve ser algo lindo que se formava enquanto você era feito. Não sei direito o que é isso que eu sinto por você. Mas como é maravilhoso fumar você, cheirar você, tomar você, injetar você. Calar a boca. Me pergunta uma daquelas coisas para eu dar uma daquelas respostas que você morre de rir. Me deixa pirar no seu céu da boca escancarado. Você se joga pra trás. E só porque você e o mundo inteiro têm certeza do quanto você é lindo, você faz questão de sempre se largar no mundo. É a liberdade que só tem quem é infinitamente lindo ou infinitamente feio. Eu sou mais ou menos, mas nesse segundo, já que comprei sua beleza, sou a mulher mais linda do mundo. Me deixa ser linda vestindo você. Outro dia me peguei pensando um absurdo que me fez feliz.
É triste, mas me fez feliz. Pensei se isso que você faz, de ficar horas comigo depois de ter ficado horas comigo. Se isso é algum tipo de caridade sua. Porque, veja bem. Somos plantas e pássaros diferentes. Eu sou a bonitinha que lê uns livros e vê uns filmes. Você é essa força absoluta e avassaladora que jamais precisará abrir a boca para impor sua vitória. Você coloca aquele moletom cinza com dizeres do surf e eu experimento um guarda-roupas inteiro pra ficar à sua altura. Você é essa força da natureza que deu certo. E como eu não sou mulher de correr da dor, deixo ela entrar aos pouquinhos, esbugalhar meus sentidos, enfraquecer meu orgulho. Quando vejo, estou calada novamente, ouvindo o que você não diz e vendo o que você não faz . Não existe não morrer um pouco quando você chega.”
Tati Bernardi