É impossível ser feliz sozinho?

Como única solteira de casa eu sou atormentada na questão relacionamentos amorosos.
Sou obrigada a escutar sempre perguntas como ” Você não pensa em namorar? ” ou ” Um amor faria muito bem na sua vida ” como se fosse fácil a ponto de eu só precisar querer e ir na esquina arranjar um namorado.
Sempre fui muito romântica, então é claro que eu imagino ter um amor bom. Porém, consigo ser feliz sozinha sim e não preciso de homem nenhum para fazer com que eu me sinta bem.
Em momento algum disse que não quero ter namorado ou que sou contra namoros, aliás sempre deixo claro, para as pessoas que convivem comigo e me conhecem, o meu desejo por um amor. Então, fico surpresa com os ataques que recebo em casa e também fico sem entender o pensamento dessas pessoas que acham que tenho que pensar e agir como elas.
Primeiramente, precisamos nos conhecer, nos encontrar e nos amar para depois conseguirmos conhecer e amar alguém,  principalmente, porque se conhecendo, você saberá o tipo de pessoa que se encaixará no seu coração. Não acho que me faria bem me relacionar com pessoas que nada tem haver comigo só para ficar acompanhada, isso não faz sentido na minha mente.
Mas, quero saber a opinião de outras pessoas, então, comentem por favor o que vocês acham desse assunto.
É impossível ser feliz sozinho?
Fafá ;*
Anúncios

Quero voltar a ser feliz

Tudo o que eu mais quero é voltar a ser feliz. A partir de algum ponto entre o ano passado e esse mês, eu perdi a minha felicidade e passei a murchar e murchar, que nem as orquídeas aqui de casa que não florescem mais.
Eu, por fora, consigo sorrir e interagir com as pessoas, mas, por dentro, há uma pedra em meu peito apertando meu coração e, às vezes, quando eu choro parece que ela diminui, mas, tem dias que ela fica do tamanho de um carro. Já imaginou como é ter um carro sob seu coração?  Dói. E muito.
Passei a chorar todos os dias, como se isso fosse normal e rotineiro, assim como tomar banho ou passear com meu cachorro. E sei que não é normal!  Por isso, todos os dias também,  eu desejo voltar a ser uma pessoa feliz como as pessoas me dizem que eu sou,  alguém que consegue alegrar o dia delas e fazer uma pequena mudança boa.
Não se agradeço a Deus ou o Destino, para mim passou a ser a mesma coisa, pelas pessoas especiais que, mesmo por um pouco tempo, passaram pela minha vida ano passado e hoje vêm me mostrar que consegui marcar a vida deles também. Em meio a um chororô, recebi presentes de pessoas preocupadas comigo, mostrando o quanto gostam de mim, torcendo a meu favor, falando o quão especial me tornei para elas e é essa pessoa que eu quero voltar a ser. Mas, para isso, essa nova fase ruim tem que passar.
Já cansei de cortar batatas com lágrimas no rosto ou não conseguir ir ao shopping, cansei também de ficar paralisada no sofá com uma coberta no corpo e a TV ligada inutilmente, pois, eu só a olho, mas, não a assisto. Preciso da minha garra de volta, da minha felicidade no peito e desse carro indo estacionar em outro lugar.
Fafá :*

Cadê?

Quando eu era pequenina, não era como as outras crianças, eu não queria crescer. Adorava aquelas tardes em que eu voava no gira-gira e depois tomava achocolatado assistindo Castelo Rá Tim Bum. Nunca lutei contra o tempo, deixava-o passar sem problema algum, mas sempre amava o presente.
Hoje, nem adulta, nem adolescente, nem pequenina, nem gigante, me sinto cada dia mais frágil e com saudades da criança que eu era, ela sim era feita de ferro… Meus medos gritam a ponto de eu, ás vezes, ter que lutar com eles para conseguir sair da cama. E meu peito aperta até eu ter que lembrar como se respira.
Algo está faltando, mas eu não sei o que é. Não consigo crescer, estou parada no tempo-espaço sem saber para onde ir. Só que eu também não quero ir para lugar algum, cada vez mais minha vontade é de ficar embaixo das cobertas, dormindo, até tudo passar.
As pessoas sempre dizem que estão ao meu lado. Então, porque, eu me sinto cada vez mais sozinha? E sinto cada vez mais frio, um frio congelante que conseguiu congelar o meu coração.
Cadê a minha felicidade? Cadê a minha força de vontade? Cadê a minha garra? Cadê eu?
Fabi