Resenha – Cisnes Selvagens

Jung Chang, em 1991, professora na Escola de Estudos Orientais e Africanos da Universidade de Londres, narra neste livro a história de sua família na China através das experiências de vida de sua avó, mãe e dela própria, desde a época feudal até quando ela conseguiu uma bolsa de estudos na Universidade de York e saiu do país. O principal foco do livro é acompanhar toda a época do comunismo liderado por Mao Tsé-Tung e a perca da inocência precoce na população chinesa.
Ela relata dor, fome, desespero e outras barbaridades sem filtro algum, pois foi o que ela viu e vivenciou e quis mostrar toda a verdade em sua escrita. E conseguimos entender a mente de pessoas que, por anos, endeusaram um líder político independente dos absurdos de tudo que acontecia e relevaram todas as catástrofes consequentes do comunismo e da Reforma Cultural.
Acompanhamos um sonho por um país melhor e sem desigualdade que vira uma decepção enorme a ponto de enlouquecer e sofremos junto aos protagonistas.
Chega a ser engraçada a ironia de uma política querer tanto aterrorizar a população sobre o “terrível mundo ocidental” que faz com que a nossa narradora se encante e deseje conhecer esse novo mundo.
Demorei um mês em meio para completar a leitura, não pelo livro ser chato, ele é incrível, mas por ser muito denso, cada página continha muita informação e em letras pequenas. Foi como se eu passasse cerca de 70 anos na China e conhecesse todas o sofrimento e a beleza escondida em tudo.
O livro me foi emprestado pela minha mãe, não sei se ainda está sendo publicado, mas deve ser encontrado em sebos. Super recomendo!
BoaLeitura

Anúncios

Séries para amar – A to Z

A to Z

O destino une Andrew, um romântico incorrigível que trabalha em empresa que comanda um aplicativo de namoro, e Zelda, uma advogada durona que não acredita em príncipes encantados ou no amor perfeito. E, a partir daí, a série passa a acompanhar o relacionamento deles em seu dia-a-dia mostrando as conquistas e os problemas da rotina de qualquer casal moderno. Cada um dos dois mora com um melhor amigo e estes, a amiga dela e o amigo dele, se odeiam, o que desencadeia diversas situações muito engraçadas.

Na minha opinião, os atores foram muito bem escolhidos e o roteiro era fofo  atual, mas fugia do clichê, mesmo mostrando um romance.

Durou apenas uma temporada que foi exibida originalmente entre outubro de 2014 e janeiro de 2015. Cada um de seus 13 episódios era representado por uma das letras do alfabeto (de A à M) que indicava o tema principal do episódio. E no Brasil, a série é exibida dublada pelo canal Sony.

Então, nesse meu aniversário, indico essa série que fará qualquer romântico, como eu, se apaixonar e se perguntar “Por que tinha que acabar? Eu quero mais!”, pois é uma série leve e divertida que dá para ser assistida inteirinha durante um final de semana.

Fafá :*

Wishlist de aniversário \o/

Achando que sou uma blogueira famosa, fiz uma wishlist para o meu aniversário \o/ (Podem marcar nas agendinhas: 14 de junho)

É uma listinha de coisas que eu estou desejando ultimamente e gostaria de ganhar 😀

Livros

Isla e o Final Feliz – Stephanie Perkins

Minha Vida Fora de Série – Paula Pimenta

A Herdeira – Kiera Cass

Produtinhos de beleza

Linha Suspiro de Pêra e Magnólia da The Beauty Box 

Mapa para Raspar

Batom Líquido – Quem disse Berenice?

Séries para amar – Tudo o que é Sólido Pode Derreter

Tudo o que é Sólido Pode Derreter

Vai ter indicação de série brasileira SIM!

Exibida em 2009 pela TV Cultura, Tudo o que é Sólido Pode Derreter acompanha a história de Thereza através dos livros que ela lê para serem discutidos em sua aula de literatura, sempre clássicos da literatura portuguesa e brasileira, acompanhando também o tempo histórico da obra. Ela foi inspirada em um curta que foi inspirado em um livro, ambos de mesmo nome da série. O curta pode ser assistido pelo PortaCurtas.

A série possui um enredo simples, falando de adolescência como a maioria, mostrando amores, descobertas, problemas de relacionamentos, mas, seu diferencial é se tratar disso tudo no Brasil e com a literatura clássica, que poucos jovens amam, e sua trilha sonora linda composta por músicas nacionais.

Foi a única série que fazia com que eu não saísse de casa para não perder nenhum dos 13 episódios exibidos. Não é mais exibida pela TV Cultura nem pela TV Brasil , onde foi exibida em 2010, mas sei que dava para ser assistida em seu site e alguns episódio também se encontram disponíveis no canal da TV Cultura no Youtube. Achei o 1º episódio em outro canal, é só dá uma procurada que se consegue achar os episódios perdidos por essa internet a fora.

Por mais séries infanto-juvenis brasileiras tão boas quanto essa!

Fafá :*

Resenha – Não se apega, não

Para me distrair entre leituras pesadas, ontem peguei esse livro emprestado da minha irmã e sentei na poltrona para lê-lo. Três horas depois eu já tinha terminado! Isso porque é um livro fácil e divertido possibilitando essa leitura super rápida.

No começo, achei que fosse um manual contando experiências próprias da vida da escritora, porém, agora acho que a história é de uma personagem, mas a maioria das situações são da Isabela Freitas. São histórias verdadeiras, reais e engraçadas sobre aprender a se amar, como amar os outros sem se perder e sobre o desapego, que aliás é o personagem principal do livro! Isso tudo acompanhando as situações bizarras que ela passa com os namorados.

Apesar de ter escutado muitas críticas ruins por aí, eu gostei muito do livro e acredito que foi por ter o lido pensando “Essa é a opinião dela, não preciso sempre concordar e tenho consciência de que não é preto no branco, nem certo ou errado, tudo tem vários lados ou modos de pensar e esse é o dela.”

O público alvo seriam as adolescentes que com certeza se identificariam com as situações narradas e cresceriam com a personagem durante a história deste livro e de suas continuações. Ele não é uma grande obra, mas recomendo para passar o tempo.

BoaLeitura