Naquele dia tive medo.

Medo por não entender o que estava acontecendo.

Só existia o vazio.

Eu não sentir nada me confundiu.

Podia ser um tchau.

Podia ser uma recaída.

Você sabe o que é sentir nada?

É desesperador.

É desesperador você querer um coração acelerado.

Querer sentir o toque daquela mão em seus cabelos.

O nada é sufocante.

Então, finalmente, sua mãos conseguem recuperar o meu coração.

Seus lábios me trazem de volta à superfície daquele mar revolto.

E eu, felizmente, percebo que só tinha deixado algo me distrair de todas as delícias que estavam ao meu redor.

Algo me fez esquecer o quão feliz eu estava por estar simplesmente ali.

Ali.

Do seu lado.

Espero que nunca mais eu esqueça.

Fafá :*

As vezes cansa ser sempre a que sente mais. 

É mais saudade. 

Mais amor. 

Mais preocupação. 

Mais dor. 

As vezes cansa ser a única que transborda.

Nos outros só falta.

É tão mais fácil pensar no que é mais fácil.

Mas, nem sempre a decisão mais prática é a mais certa.

As vezes eu penso em me afasta para ver no que vai dar.

Na maioria das vezes eu sei que não mudará nada.

Fafá ;*

Sol

Eu recebi Sol o final de semana inteiro, seu calor e sua luz. E agora sou obrigada a aguentar trovão em pleno feriado de segunda-feira. Por isso chovo, não muito, só uma chuva rápida, algo que não causaria nem uma poça. Mesmo assim, o Sol continua tentando me aquecer, mesmo à distância, e assim, secar cada uma das pequenas gotas que caem.

A nuvenzinha cinza fica pairando e pairando, nenhum ventinho consegue fazê-la voar para longe. Mas, parece que aquele Sol, está conseguindo, pelo menos, me fazer escrever, me dar um feixe de luz bem no meu rosto.

Fafá ;*

O mundo não é o que ele era para mim?

Quando eu acho que finalmente estou entendendo o mundo, pá! Vem algo que me faz questionar minhas certezas e verdades. Ou as certezas e verdades dos outros.

Parece que o meu universo, que sempre pareceu ter as coisas certas e erradas da vida tão bem definidas, como se o mundo todo fosse assim, simplesmente se desmantelou ao se chocar com o universo de outra pessoa que faz tudo de “errado”, mas se dá sempre bem. Aprendi que só ganho as coisas se eu batalhar por elas, se eu correr atrás. E não foi só minha pequena família que colocou isso na minha cabeça, o mundo grita isso, são pessoas fazendo discursos e posts motivacionais dizendo que se você trabalhar duro, conseguirá tudo o que quer. Porém, eu trabalho duro e não consigo comprar direito nem um batom  de farmácia para mim, enquanto olho e as pessoas ganham tudo de mão beijada. Quer roupas novas? TOMA. Quer viajar? TOMA. Quer mudar o visual? TOMA. Quer sair? TOMA MAIS.

E ao serem questionadas, essas pessoas acham normal… E eu fico confusa, o que é certo então? Por que eu vivo do jeito que eu vivo então, se eu não ganho nada de positivo disso? Estou sendo muito bobinha? Devia pedir mais? Exigir mais? Me importar menos?

Comecei a assistir uma série que deveria mostrar como uma atual dona de uma grande empresa de roupas chegou ao poder de pouquinho em pouquinho, batalhando seu espaço. Mas, tudo o que eu vi em 13 episódios foi como fazer o mundo girar ao redor do seu próprio umbigo, manipular as pessoas e roubar o que não é seu.

Repito: Será que eu realmente não entendo o mundo se verdade? Será que vivi sempre com a ilusão errada sobre o mundo? E, por que eu não consigo mudar meu jeito para ser mais agressiva e ir contra o “correto”?

Fafá ;*